Laboratórios da Espanha e EUA atestam pureza da água de Ibirá

Gostou? compartilhe!

Laboratórios da Espanha e EUA atestam pureza da água de Ibirá

Fonte: https://www.diariodaregiao.com.br/_conteudo/2016/10/cidades/635449-laboratorios-da-espanha-e-eua-atestam-pureza-da-agua-de-ibira.html

Ela tem 100% de grau de pureza e deságua de um mesmo ponto há mais de 26 mil anos. A água da fonte Saracura, em Ibirá, foi alvo de estudo para comprovar sua datação e provar que nunca houve qualquer contaminação. A fonte é conhecida pelos supostos benefícios à saúde que promove a quem toma de suas águas e se tornou referência para moradores da região. A Saracura é uma das cinco fontes que ficam dentro do Parque Balneário Termas de Ibirá. Registros indicam que os índios Imbira usavam a lama do local como remédio para cicatrizar feridas.

Depois foi a vez dos tropeiros terem feito uso de sua água para curar ferimentos de seus cavalos e os próprios montadores se sentirem melhores depois do consumo. A lenda da água medicinal foi passada de geração para geração e despertou curiosidades. Agora, a explicação de toda a fama foi finalmente descoberta. Uma pesquisa feita entre três laboratórios - um do Brasil, um da Espanha e um dos Estados Unidos - mostrou, por meio de um método chamado Carbono-14, que a água da fonte termal tem 26.650 anos e atestou grau de pureza absoluto do líquido, que está todo esse tempo lá, sem nenhuma interferência humana.

Responsável por analisar as águas do Balneário, a química Joseani Octaviani iniciou um estudo prévio e encaminhou as amostras para o laboratório Oliver Rodés, de Barcelona, na Espanha, realizar a datação por Carbono-14, o mesmo método utilizado para definir a idade de fósseis. Com os resultados em mãos, houve ainda uma contraprova realizada no laboratório Beta Analityc, em Miami, Estados Unidos. A comprovação final veio agora. “Os laudos de ensaios realizados no Brasil e nos laboratórios da Espanha e Estados Unidos são recentes. 

Os estudos químicos primordiais foram realizados durante o ano passado”, diz a química, que mensalmente analisa as águas das cinco fontes do Parque do Balneário. “O trabalho realizado pelos três laboratórios é inédito. Não existem publicações semelhantes sobre outras fontes de águas minerais no País. O grau absoluto de pureza é uma valiosa raridade nos tempos atuais, frente ao ritmo do desenvolvimento agrícola e industrial que estamos vivendo”, prossegue.

A especialista acrescenta que outra prova científica de que a água ficou armazenada no subterrâneo por todos esses anos é a ausência de trítio nas amostras estudadas. “O elemento foi lançado no meio ambiente pelas bombas atômicas na Segunda Guerra Mundial, na década de 1940, e até hoje está presente em todos os reservatórios de água superficial do mundo, mas não nas águas da Saracura”. Ainda segundo Joseani, até o momento a exploração dessa fonte é apenas para tratamento hidropônico (ingestão). Da Saracura minam 10 litros de água por minuto, ou seja, 600 litros por hora.

A dona de casa de Rio Preto Juliana Doreto de Carvalho, 31 anos, não sabia que o líquido que ela vai buscar a cada 15 dias em Ibirá, água tomada por toda a família, tem grau absoluto de pureza e nem quais são seus componentes. Há cerca de 3 anos, uma amiga indicou que ela passasse a se hidratar com a água para combater infecções urinárias e crises de pedras nos rins. “Depois que comecei a tomar essa água nunca mais tive nenhum problema e parei de tomar remédios”, conta. Na quarta-feira, dia 28, estava ela, com o marido, Eder, 26, e os filhos Lohran, 6, e Lorena, de 11 meses, enchendo vários galões de cinco litros para levar para a casa. 

“É a única água que minha família consome, nem a água mineral comprada desce mais”, afirma Juliana. Além de buscar o líquido a cada 15 dias, a família aproveita para se divertir. A aposentada de Rio Preto Izabel Gonçalves Savatino, 83, também não abre mão das águas de Ibirá para consumo da família. “Depois que a gente se acostuma com esta não quer mais tomar outra, além de ela fazer bem à saúde”, afirma Izabel. Além da Saracura, no Parque do Balneário também estão as fontes Jorrante, Seixas, Adhemar de Barros e Carlos Gomes. As cinco fontes têm a mesma composição química, mas em concentrações diferentes.

Líquido ajuda nocuidado à saúde

Segundo a química Joseani Octaviani, a composição da água da Saracura, com minerais, metais e íons, auxilia no tratamento de disfunções gástricas, hepáticas e dermatológicas. A água se destaca também pela alcalinidade. O pH registrado na fonte é de 9,9, que ajuda na neutralização dos radicais livres, agentes causadores de doenças como o câncer e potencializador do envelhecimento. No início dos anos de 2000, o dermatologista de Rio Preto João Roberto Antonio, professor da Faculdade de Medicina de Rio Preto (Famerp), fez uma pesquisa científica com 50 pacientes, 28 deles com psoríase (doença de pele).

Durante 21 dias, eles beberam e se banharam nas águas de Ibirá. Segundo ele, os banhos de imersão levaram a um ressecamento da pele e a uma posterior descamação, o que beneficia em tratamentos de doenças como a psoríase. Até hoje, ele recomenda a pacientes que façam esse tratamento como auxiliar no combate a certas doenças de pele. Contudo, afirma que não substituem remédios. “As doenças que encaminhamos têm mais controle do que promessa de cura, mas as águas ajudam demais.”

Em setembro de 2003, no Congresso Internacional de Termalismo, na França, ele foi conferencista em duas palestras, uma sobre “Crenoterapia nas Patologias Dermatológicas” e outra sobre a “Pesquisa Clínica das Propriedades Terapêuticas das Águas de Ibirá”. Outras experiências internacionais do especialista fizeram com que ele concluísse que, no Brasil, após o surgimento das drogas modernas advindas da medicina alopática, as estâncias hidrominerais foram esquecidas, o que não acontece na Europa, onde as águas são cada vez mais valorizadas na prevenção de doenças e nos tratamentos pós-operatórios.  

Pesquisas buscam impulsionar o turismo

A ideia de descobrir a procedência e a datação das águas da fonte Saracura tem como objetivo mostrar aos visitantes a qualidade das águas de Ibirá e atrair ainda mais turistas. Hoje, a cidade já atrai gente de todos os cantos do País. Mas há potencial para mais. Segundo a consultora de Turismo do Balneário, Aline Guerra, Ibirá recebe turistas de várias localidades e não só do Estado de São Paulo. “Temos visitantes que vêm de Minas, do Rio de Janeiro, de Goiás, Mato Grosso do Sul e demais pontos do País, que procuram a água pelo seu poder curativo e medicinal”, diz.

Para ela, considerando que os resultados das pesquisas feitas com as águas da Saracura são inéditos, essa informação vai aumentar o turismo. Em setembro, o município recebeu 10 mil visitantes. “Apostamos em um incremento surpreendente no número de turistas que virão em busca da qualidade de vida que é proporcionada pela água”, considera. “Como a água daqui é valorosa, vai agregar potencial ao turismo da cidade”, prossegue. “Desde criança conheço a qualidade da nossa água e vi no estudo a oportunidade de provar cientificamente o que a há anos a população sente de benefícios”, afirma o prefeito de Ibirá, Nivaldo Domingos Negrão.

Em busca de conhecer os atrativos dos balneários europeus e seus serviços para incrementar a vinda de turistas, ele identificou que essas estâncias se preocupavam em informar a procedência da água e sua datação. Isso porque quanto mais antiga a água, mais pura ela é e muito mais valorosa para a saúde. O maior atrativo de Ibirá são as águas. O Parque do Balneário do Termas está cravado dentro de uma área de 14 hectares. Nele, concentra lagos que recebem as águas do córrego Pouso Alegre.

É possível andar de pedalinho e está sendo incluída agora a atividade de pesca recreativa. No Parque há também quiosques para visitantes que querem fazer churrasco, com toda a estrutura montada. As piscinas, que ficam fechadas no período mais frio do ano, foram reabertas neste sábado, dia 1º, para o visitante que quer nadar. E há cerca de uma semana foi aberta uma lanchonete dentro do parque. Todas as atividades turísticas são pagas.

Ampliação

Além do parque, o que faz muito visitantes irem a Ibirá é o próprio Balneário, espaço para banhos de imersão e mais uma série de serviços que vão de cuidados pessoais como hidratação podal, reflexologia, esfoliação e drenagem linfática, shiatsu, terapias com pedras quentes, entre outros. O turista também pode optar por tratamentos fisioterápicos que incluem reeducação postural global, iso stretching e pilates, osteopastia estrutural, craniana ou visceral.

Segundo Aline, o espaço está em reforma e a previsão é de entrega em dezembro. “Vamos ter academia, salão de beleza, restaurante, choperia, lojas de cosméticos, vinhos, queijos e doces, produtos naturais, souvenir, café entre outras”, diz. Mesmo com as obras os serviços de saúde estão mantidos. “Os turistas vêm para Ibirá por duas razões principais que são a água das fontes e os serviços de bem-estar que oferecemos. Além disso, a cidade é pequena, acolhedora e organizada dentro de um mesmo conceito, que remete à água. No fim do dia, a região do Termas fica cheia de pessoas que fazem caminhadas”, conclui.



Gostou? compartilhe!